Por que existem anúncios que te perseguem?

Por que existem anúncios que te perseguem?

Você resolve comprar uma televisão nova e realiza uma pesquisa nos sites das lojas. Mas decide que vai esperar mais um pouco, pesquisar com mais calma.

Mais tarde você acessa o Facebook e se depara com a publicidade do modelo de televisão pesquisado e com uma oferta de desconto. Aí você pensa: “Eita! o Facebook está lendo os meus pensamentos”.

Não foi magia, foi tecnologia. O que possibilita um site rastrear as suas ações é a utilização de um cookie (arquivo de texto gerado automaticamente pelo navegador da internet que fica gravado no computador). Ele também é utilizado para armazenar os dados de acesso de um site quando você marca para lembrar.

O site que você visitou não sabe quem é você, mas registra as suas ações, as páginas que navegou, se colocou algum produto no carrinho de compras, se incluiu algum produto na opção de favoritos.

E as empresas utilizam essas informações em suas estratégias de Retargeting. São banners que aparecem para o usuário depois que ele visita algum site ou pratica determinada ação. Aqui, a ideia é fazer o seu anúncio ser lembrado pelas pessoas, retomando o engajamento com o seu funil de vendas.

O anúncio pode aparecer em outro site também. As vezes eu visito um determinado site (uma landing page de um curso) e aparece uma publicidade no Portal do UOL.

Você pode evitar esse rastreio utilizando a opção de navegação anônima do navegador. Após fechá-lo, todos os arquivos são excluídos. Outra maneira é utilizando um bloqueador de anúncios. Mas leve em consideração que muitos sites são mantidos através da exibição de anúncios. Entregam um excelente conteúdo e sobrevivem dessa maneira. Caso um anúncio esteja incomodando, você pode solicitar apenas o bloqueio dele.

Caso deseje monitorar a ação dos visitantes em seu site, você pode utilizar o Facebook Pixel e/ou o Google Tag Manager. Sabendo o que os visitantes estão fazendo no seu site, você pode criar campanhas que tragam mais resultados.

Foto de Jose Francisco Fernandez Saura no Pexels

Paulo Miranda

Eterno programador, formado em 1997. Empreendedor na Baruk Soft desde 2017. Estou há mais de 20 anos codificando, resolvendo problemas e criando soluções. Já participei da implantação da bilhetagem eletrônica em duas capitais. Aprendi HTML em 97, quando fiz meu primeiro site. Entrei no mundo mobile em 2001 ao criar um sistema de força de vendas no jurássico PalmOS. Aplicativos para Android desde 2012. E aplicativos para IOS só aprendi em 2015 quando trabalhei em uma startup.

Deixe uma resposta