Por que existem anúncios que te perseguem?

Por que existem anúncios que te perseguem?

Você resolve comprar uma televisão nova e realiza uma pesquisa nos sites das lojas. Mas decide que vai esperar mais um pouco, pesquisar com mais calma.

Mais tarde você acessa o Facebook e se depara com a publicidade do modelo de televisão pesquisado e com uma oferta de desconto. Aí você pensa: “Eita! o Facebook está lendo os meus pensamentos”.

Não foi magia, foi tecnologia. O que possibilita um site rastrear as suas ações é a utilização de um cookie (arquivo de texto gerado automaticamente pelo navegador da internet que fica gravado no computador). Ele também é utilizado para armazenar os dados de acesso de um site quando você marca para lembrar.

O site que você visitou não sabe quem é você, mas registra as suas ações, as páginas que navegou, se colocou algum produto no carrinho de compras, se incluiu algum produto na opção de favoritos.

E as empresas utilizam essas informações em suas estratégias de Retargeting. São banners que aparecem para o usuário depois que ele visita algum site ou pratica determinada ação. Aqui, a ideia é fazer o seu anúncio ser lembrado pelas pessoas, retomando o engajamento com o seu funil de vendas.

O anúncio pode aparecer em outro site também. As vezes eu visito um determinado site (uma landing page de um curso) e aparece uma publicidade no Portal do UOL.

Você pode evitar esse rastreio utilizando a opção de navegação anônima do navegador. Após fechá-lo, todos os arquivos são excluídos. Outra maneira é utilizando um bloqueador de anúncios. Mas leve em consideração que muitos sites são mantidos através da exibição de anúncios. Entregam um excelente conteúdo e sobrevivem dessa maneira. Caso um anúncio esteja incomodando, você pode solicitar apenas o bloqueio dele.

Caso deseje monitorar a ação dos visitantes em seu site, você pode utilizar o Facebook Pixel e/ou o Google Tag Manager. Sabendo o que os visitantes estão fazendo no seu site, você pode criar campanhas que tragam mais resultados.

Foto de Jose Francisco Fernandez Saura no Pexels

Deixe uma resposta